Nesta segunda-feira (25.01), no aniversário de 462 anos da cidade de São Paulo, foi decidida a final da 47ª edição da Copa São Paulo de Futebol Junior, no Pacaembu, mas quem ganhou o maior presente foi o time sub-20 do Flamengo. Depois de sair atrás no placar (2 a 0), o Rubro-Negro reagiu, empatou, levou a decisão para os pênaltis e levantou a taça da Copinha pela terceira vez em sua história. Invicta até a disputa final pelo troféu, a “Garotada do Ninho” ainda teve no elenco o jogador eleito destaque da competição, Felipe Vizeu.

No futebol de base, mais do que qualquer título, a maior vitória é formar novos talentos para o time principal e, deste elenco, que também conta com excelentes profissionais em sua comissão técnica, pode-se esperar boas novidades para os próximos anos. Você pode participar desse processo sendo sócio-torcedor e investindo na nossa base! Clique aqui e faça parte do Programa Nação Rubro-Negra.

O jogo
O Flamengo tomou a iniciativa da partida, chegando com muitos jogadores ao ataque e marcando forte a saída de bola do Corinthians. Aos 13 minutos, Cafú deu passe primoroso para Paquetá mas, de cara para o gol, o camisa 11 não conseguiu o domínio. Apesar de, no primeiro tempo, o goleiro alvinegro ter trabalhado mais do que o rubro-negro, Thiago, o adversário foi quem abriu o placar, com gols aos 18 e 25 minutos da primeira etapa. Aos 31, o Flamengo teve grande chance de diminuir com Vizeu, que bateu cruzado muito perto da trave depois de receber de peito de Paquetá.

Na etapa complementar, o Flamengo teve um gol anulado por marcação de impedimento do bandeirinha. Mas a bola não demoraria a entrar novamente: aos três minutos, em jogada muito semelhante à anterior, Trindade aproveitou cobrança de escanteio e marcou de cabeça. Apenas quatro minutos depois, o Rubro-Negro chegou ao empate, com Matheus Savio. Depois de um escanteio para o Corinthians – resultado de uma excelente defesa de Thiago -, o Flamengo roubou a bola e saiu em velocidade; no meio de campo, Cafú descolou grande assistência para o camisa 10 deixar tudo igual: 2 a 2.

Depois do início avassalador do Flamengo, o ritmo da partida diminuiu e o calor em São Paulo aumentou. Nos últimos minutos, com o empate no placar e o clima quente, as equipes mantinham a cautela e não se arriscavam tanto no ataque, levando a decisão para os pênaltis.

Disputa nas penalidades
O técnico Zé Ricardo optou por Thiago Ennes, Ronaldo, Kleber, Lucas Paquetá e o goleiro Thiago para as primeiras cinco cobranças. O Corinthians iniciou a série e todos os jogadores marcaram, até o rubro-negro Kleber, que teve seu chute defendido por Filipe. Na sequência, Matheus Pereira tentou a cavadinha, mas errou e mandou por cima do gol. Na sequência, Lucas Paquetá marcou e empatou. No último pênalti da série corintiana, Thiago defendeu a cobrança de Gabriel Vasconcelos e logo depois, teve sua própria cobrança defendida.

Nas alternadas, Claudinho iniciou e Thiago novamente defendeu. A bola do jogo ficou nos pés de Patrick, que bateu rasteiro e marcou o gol do terceiro título do Flamengo.

Moradores de Magé comemoram em dobro
Reprodução / Facebook
Apesar de estar do lado rubro-negro, na manhã desta segunda-feira (25), a vitória do time carioca foi comemorada também por vascaínos, tricolores e botafoguenses do município de Magé, na baixada fluminense. E o autor dessa união se chama Thiago Ennes, lateral-direito e autor da primeira e bem sucedida cobrança da disputa de pênaltis no estádio da Pacaembu.

Magé também é a cidade de grandes nomes do futebol brasileiro como o grande Garrincha, Antônio Laranjeira, Leandro, Leonardo, Gilson Cruz, Júnior César e vários outros que elevam o nome do município quando o assunto é futebol.

Revista Rio de Janeiro / Site Oficial do Flamengo

Comentarios

Comentarios